Adoção por impulso

5 setembro, 2013

Acho muito importante falarmos desse assunto aqui no blog.

Ultimamente atendi três casos de pessoas, que me chamaram, pois “perderam” a paciência com seus peludos recém adotados.

Um dos casos me chamou muita atenção, pois é um caso clássico de falta de empenho dos novos adotantes e da famosa “adoção por impulso”.

Os novos donos simplesmente não tinham paciência em ensinar o peludo a fazer as necessidades no local correto, além de notar uma grande “preguiça” por parte deles, em tarefas simples de como cuidar bem de um cachorro.

Além disto, o cão foi escolhido pelo filho do casal, um garoto de uns 10 anos mais ou menos. Os pais, “jogaram” toda a responsabilidade para o menino, que na verdade mal sabe cuidar dele mesmo. Imagina ter que ensinar o peludinho a fazer necessidades no local certo e etc.

Outra coisa que me incomodou um pouco, foi o fato dos novos adotantes dizerem que o cão adotado era “agressivo”, pois havia mordido a criança duas vezes, o que motivava o casal para a devolução do peludo.

Ok, vamos lá: Um cão recém adotado de uma feirinha, abrigo, CCZ ou similares, provavelmente tem um histórico de maus tratos, além do abandono. Mesmo se ele não teve nada disso, quando um peludo chega num ambiente novo, geralmente ele fica assustado e precisa de um tempo para se habituar, ou seja, a maioria dos peludinhos não quer que você fique, o tempo todo, abraçando ou o acariciando, pois, além de não haver vínculo de confiança com o animal, o peludo está assustado com o novo ambiente e provavelmente estressado com o dia cheio que teve.

E foi exatamente isso o que aconteceu, a criança queria pegar o cão a todo momento, que com medo, claro, se defendeu mordiscando o garoto.

Nós somos culpados, pois em alguns casos não temos paciência e estrutura psicológica ou real responsabilidade para ter um cão ou gato.

Não dá para “embutir” um chip no peludo, para que ele já saiba fazer suas necessidades no lugar certo e ser obediente. Isto é nossa função, nossa responsabilidade, treiná-lo e educá-lo ou pedir ajuda de um profissional capacitado para isto.

Nunca se esqueça, existe um cão para cada estilo de família. Se quiser adotar um peludo, veja qual cão pode se adaptar com você e se você vai se adaptar a ele. Não adote por impulso, pois depois, quem sofre é o animal. Pois, ele será devolvido ou abandonado novamente.

Peça ajuda há um profissional que o oriente na hora da adoção ou solicite informações para o responsável pelo animal, quanto as características do peludo e se possível, aproveite e dê uma volta com ele, para conhecê-lo melhor.

Assim como você aprendeu a fazer as coisas certas na escola ou em casa com seus pais, os peludos também precisam ser ensinados, com muita paciência, carinho, respeito e tranquilidade.

por Thiago Sanchez

Adoção por impulso

Tags: , , , ,
G.Plus Facebook

• Faça um Comentario no Facebook deste assunto •

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 Comentário:Adoção por impulso

  1. angelica

    adorei o post, muito bem escrito e toca no coração
    pq animais são como a gente, merecem de carinho e não de má intenção.
    beijos

    http://www.blogdaangelica.com.br

  2. Mariana Fiacadori

    Muito importante esse post. Fico indignada quando vejo pessoas tendo este tipo de reação. Minha cachorrinha demorou 3 meses pra aprender a fazer xixi no lugar correto, JAMAIS, JAMAIS passou pela minha cabeça em devolver ela ou abandona-la. O que fiz foi buscar informação em todos os lugares possíveis de como poderia ensina-la melhor. Hoje, ela é a cachorrinha mais comportada e inteligente que conheço (não é pq é minha filha não, rss…). O que falta hoje em dia nas pessoas é mais sentimento verdadeiro, COM TUDO. Esses dias uma blogueira que eu adorava, postou que comprou um cachorro por impulso e depois de uma semana devolveu, isso me incomodou muito que não consigo mais entrar no blog dela, parece exagero, mas depois que você se envolve na causa, é dificil admitir isso de pessoas que você admira. Isso aconteceu pq ela simplesmente não foi se informar sobre a raça, se tivesse feito isso, talvez não tivesse comprado (o que tbm não acho correto, mas enfim…). Não adianta a pessoa querer um Beagle e achar que ele vai ser calminho e vai dormir o dia todo. Não adianta a pessoa querer um bullgod e achar que ele vai te obedecer de primeira, a pessoa vai ter que ter muita paciencia e personalidade para isso. Enfim, sonho com o dia em que todos possam ter um sentimento verdadeiro, para com os outros e para CONSIGO MESMO!!

  3. Carla Antoni | Um Doce Dia

    Muito importante mesmo e super bem dito!

    Em muitos casos, o único jeito que eles sabem se comunicar é reagindo de uma forma que as vezes parece ser agressiva, e o dono tem obrigação de ser paciente e respeitar o tempo do bichinho.

    Isso pode parecer meio pesado, mas eu sinto vergonha por esse pessoal que devolveu o cão, mas pelo menos não o largaram na rua, né?

    :**

  4. ERIKA

    Oi, faltou vc dizer q filhotes adoram morder, mas q esse costume desaparece depois q ele troca os dentinhos. E q são muito agitados e bagunceiros, mas terminam ficando muito mais calmos quando adultos. Estou com uma menininha q adotei diretamente da rua. Ela era quietinha quando peguei, mas hoje, depois de dois meses em casa, ela é uma capeta: destrói tudo, bagunça tudo e morde demais a mim, a meu esposo e ao irmãozinho canino dela. Como toda criança, ela tem energia p dar e vender. A dentada dela dói e fere. Mas eu sei, pela minha experiência de anos criando cachorros, q essa fase passa, lá pros 7 ou 8 meses. Q eles param de nos morder, de destruir tudo, de bagunçar e de roer as coisas. Enquanto isso, é reprimir com seriedade e muito amor e curtir as trelas dela afinal, como diz meu pai, criança que não trela está doente. Rs. Beijos

  5. Aline

    Olá Bruna…mudando um pouco de assunto, tenho muita vontade de ter uma cachorrinha da raça yorkshire, será que consigo algum filhote para adotar? Sei que a raça é cara e não tenho como comprar… Acho sua cachorra a coisa mais fofa!
    Não precisa aceitar o comentário, mas é que faz anos que sou fissurada nessa raça rsrsrs.

  6. Vera Cristina Mourente

    Esse caso é bem típico de pessoas que querem adotar um animalzinho só p/ dizer que fez um “bem”, mas não querem dispor de tempo, é muito triste, que uma historia que poderia ter final feliz p/ os dois lados, seja traumatico, sim traumático p/ o cãozinho, que vai começar td de novo…..Ah! e será que o filho dessa familia já nasceu sabendo fazer as necessidades no lugar certo sozinho?????

  7. Ana Paula Lou

    Achei o post muito apropriado e informativo.
    Realmente, as pessoas precisam aprender a não tratar os animais como “coisas” e infelizmente, é o que mais vemos!
    Cada vez aprendo mais sobre como cuidar do meu animalzinho de estimação!

    Beijos montes

  8. Debora Barreto

    Adorei o post Bruna!
    Esse mês eu passei por um caso parecido. Adotei um gatinho de rua, e ele estava muito doente. Nas primeiras semanas foi muito difícil a adaptação, pois ele estava com uma forte diarreia e sujava a casa inteira, e estava muito arisco também. Hoje, depois de muito amor e cuidados, ele está muito bem adaptado, faz as necessidades na caixinha de areia, e está muito carinhoso, retribuindo tudo o que nós fizemos por ele. Nesses casos de adoção, é essencial ter paciência.
    Bjocas, ADORO o blog =)

  9. Natalia Vieira

    Bru,

    Concordo demais com seu post! É muito errado os pais quererem colocar a culpa e a responsabilidade de uma VIDA obre uma criança e ainda culparem o animal por nao se adaptar, adoro e admiro muito seu trabalho!! vc é uma das melhores blogueiras!

    • Fernanda del re

      Eu preciso de ajuda.. Tem um cachorro de 4 meses e decidi adotar outro fui na pet e veterinária disse que seria bom já que ele ainda é novinho, acabei comprando outro de 2 meses, só que não se deram nenhum pouco bem, o mais velho só quer saber de “montar” no outro e o mais novo, com isso fica latindo e mordendo o mais velho…
      O que posso fazer? Já tentei dicas da internet mas nada resolve..

• Assuntos Relacionados •