Algumas pessoas me procuram pedindo ajuda em relação ao comportamento de animais adotados em abrigos. Muitos não sabem como lidar com os peludos após alguns dias ou semanas que foram adotados. E algumas dessas pessoas acabam que por devolver o animal ao abrigo, alegando não saber do comportamento dele ou que não sabem como cuidar e até porque ele comeu o sofá, mordeu alguém ou fez suas necessidades em local errado.

Primeiro, precisamos entender que, a maioria desses animais estavam em abrigos pois foram abandonados pelos seus antigos donos, fugiram de suas casas, ou até mesmo sofreram algum tipo de violência e por conta disso, adotar é um ato de extrema responsabilidade, pois o adotante está prestes a mudar a vida de um animal de abrigo e conseqüentemente de mudar a sua própria vida também.

Quando pensamos em adotar um peludo, seja ele cão ou gato, temos que pensar na nossa rotina diária, ou seja, quanto tempo poderemos dispor para dar atenção e os cuidados necessários que esses animais realmente merecem, principalmente por virem de um abrigo ou CCZ.

Antes de qualquer coisa, se você quiser adotar um peludo de algum abrigo ou CCZ, precisará avaliar se tem condições e preparo para cuidar dele. Lembre-se também que eles tem necessidades fisiológicas e precisarão ser ensinados a fazerem suas necessidades no local correto. Principalmente os cães. Paciência, dedicação e amor é a chave para um bom relacionamento entre ambos. Independente da raça e idade, todos os animais podem ser ensinados.

As dicas a seguir podem auxiliá-los na escolha e nos cuidados do animal ideal para você.

1 – Primeiro, avalie o ambiente em que mora. Espaço e condições para se criar um animal é fundamental para os peludos. Pense também qual característica física e comportamental de animal que você procura, que se adapte melhor ao seu estilo de vida e de sua família.

2 – Quando estiver vendo os cães ou gatos de abrigos ou CCZs, procure obter o maior número de informações com a pessoa que está apresentando os animais. Procure saber idade, comportamento, características e etc. Tudo o que possa ser útil na escolha adequada do novo amigo.

3 – Peça para fazer um “test dog” ou “test cat”, ou seja, peça para dar uma volta com o cão ou um contato maior com o gato, para uma primeira aproximação e para você ver como o cão ou o gato interage fora do canil ou do gatil em que está.

4 – Se você optar por um cão adulto por exemplo, lembre-se que, os cães dependem muito do contato físico. É fundamental os passeios diários com eles. Além de estreitarem o relacionamento com esses passeios, principalmente nos primeiros dias e semanas, os cães de abrigos geralmente tem muita energia para gastar, pois dificilmente esses animais saiam para dar uma volta e aliviar o estresse.

5 – Não se esqueça que cães precisam de mais contato físico do que gatos por exemplo. Caso queira um animal de estimação, mas não fica muito tempo em casa por conta do trabalho, faculdade, escola e etc, um gato pode ser a melhor escolha, pois dependem menos do contato físico dos humanos do que os cães.

6 – E por falar em gatos, uma dica muito importante sobre eles é que se for adotar algum gato adulto é importante telar sua casa ou apartamento. Geralmente os gatos de abrigos ou CCZs ja conhecem a rua e por tanto irão querer dar suas saidinhas. Não sou muito favorável aos gatos que saem para a rua, pois muitos deles sofrem algum tipo de violência e a curiosidade do gato as vezes coloca esses peludos em grande risco.

7 – Outra dica para quem adotar um gato, além de telar as janelas e possíveis lugares que ele possa escapar é de enriquecer o ambiente. Ou seja, colocar brinquedos e arranhadores que irão entreter seu peludo felino em casa e fazer com que ele não tenha muito tempo para bolar um plano de como dar uma “fugidinha”.

8 – Procure também criar um espaço para que seu gato possa tomar sol e também algum lugar em que ele possa subir. Gatos adoram olhar as coisas pelo alto. Então, além de espaço horizontal, seria legal eles também terem um espaço vertical para usarem. Também não esqueça da caixa de areia para que eles façam suas necessidades.

9 – Se você optar por adotar um animal de alguma raça especifica, antes de adotar, procure conhecer tudo sobre a raça e a partir daí, decida se realmente você terá condições de cuidar e conviver com o novo membro da família.

10 – Se optou por adotar um filhote, lembre-se que essa é a melhor fase para socializá-lo e deixá-lo equilibrado. Socialize-o para o convívio com outras pessoas e animais. Se precisar, peça ajuda a um profissional da área para ensiná-lo sobre obediência, socialização e adestramento. E não se esqueça que todo filhote irá crescer. Avalie bem a característica do animal, porte, e qual espaço ele terá depois que crescer. Se o filhote for um SRD (sem raça definida) procure saber quais as misturas de raça que ele possui, para ter uma idéia do quanto ele irá crescer e como pode ser seu comportamento.

11 – Se você for adotar um cão ou gato idoso ou que tem alguma necessidade especial, saiba que fará uma coisa muito nobre, pois esses animais dificilmente são adotados. Tenha em mente que esses animais terão que ter acompanhamento constante, e muitos cuidados com a saúde. Por outro lado, são excelentes animais de companhia.

12 – Não se esqueça que todos os animais que são adotados de abrigos ou CCZs devem sair castrados, vacinados e vermifugados.

Essas dicas podem ser bem úteis na hora da escolha do nosso novo amigo!!!

por Thiago Sanchez

Adote me

 

Tags: , , , ,
G.Plus Facebook

• Faça um Comentario no Facebook deste assunto •

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 Comentário:Dicas para adotar um peludo!!

  1. Fe

    Adorei as dicas!
    Só não adoto outro por que meu pai não deixa mais gostaria muito!
    Beijos Fe.

    Para dicas e novidades: http://www.fesparkle.blogspot.com

  2. Ca

    Oi, amei a matéria!!! Gostaria de fazer um pedido de assunto: como lidar e resolver briga entre cachorros. Tenho 3 machos, com pouca diferença de idade, 6 meses mais ou menos. Quando o 3 chegou, começou as brigas. Ja tive adestrador, mas não resolveu. O que eu poaso fazer? A castração é eficaz nesse sentido? Obrigada!!!!

    • Cristina Marin

      Olá, eu também tenho três machos e quando adotei o 3o também começaram as brigas, eu castrei os dois que brigavam e o comportamento deles melhorou demais, tanto em relação as brigas como a demarcação de território! Hj os dois brincam muito um com o outro e raramente se estranham! Eu recomendo sim a castracao! Espero ter ajudado, att, Cristina

  3. Lara

    Aqui onde moro os preços da castração são absurdos!!! Acho que nem os abrigos têm condições de castrar todos os animais que eles resgatam. Lamentável!

  4. Terezinha Missiagia

    Oi Bruna…..muito feliz em encontrar o seu blog. Gostei muito, foge muito dos padrões de post look do dia. Amei o conteúdo, a delicadeza e especialmente seu engajamento com o social, a respeito dos animais. Moro em uma cidade do interior de São Paulo e abraço esta causa com muita alegria, consegui passar este amor e respeito aos meus filhos. É muito bonito ver uma jovem bem nascida com esta preocupação. O mundo precisa disso. É da metáfora de Francisco de Assis, que viu na bondade uma companheira que precisamos nos espelhar.Um jovem que soube contemplar as criaturas e chamar todos de irmãos e irmãs, e cantou a vida, ensinando que a paz é conquista dos que se dão, dos que partilham, dos que espalham vida em tantas vidas sem vida. Obrigado pela causa que vc abraça. Meu carinho , respeito e admiração, na certeza de que a miséria do mundo não é nada diante dos olhos que ainda são sensíveis aos encantos e mistérios da beleza.
    Terezinha
    terezinhamissiagia@yahoo.com.br

  5. Graziela Silva

    Oi Bruna, acompanho você no instagram e hoje tive um tempinho pra ler seu blog e aproveitando o assunto de adoção quero pedir uma orientação sobre doação.
    Vou explicar:peguei um shih tzu como doação de uma pessoa que comprou e não se adaptou, nesse caso foi doação da pessoa, vc que está mais por dentro do assunto sabe me informar se existe um termo pra eu registrar em cartório?? por que até então o meu peludão está no nome dessa pessoa, ele tem um chip, e pra tudo isso ir para o meu nome preciso desse termo, ja procurei muito e não encontro, pode me ajudar?? Muito agradecida!!
    Amei o Blog, amo suas postagens, e a Frida é uma verdadeira Lady, até to pensando em chamar o Thiago pra ensinar umas boas maneiras pro meu Dog, ah o nome dele é #Dom!! Beijokas!!

  6. Graziela Silva

    Oi Bruna, acompanho você no instagram e hoje tive um tempinho pra ler seu blog e aproveitando o assunto de adoção quero pedir uma orientação sobre doação.
    Vou explicar: peguei um shih tzu como doação de uma pessoa que comprou e não se adaptou, nesse caso foi doação da pessoa, vc que está mais por dentro do assunto sabe me informar se existe um termo pra eu registrar em cartório?? por que até então o meu peludão está no nome dessa pessoa, ele tem um chip, e pra tudo isso ir para o meu nome preciso desse termo, ja procurei muito e não encontro, pode me ajudar?? Muito agradecida!!
    Amei o Blog, amo suas postagens, e a Frida é uma verdadeira Lady, até to pensando em chamar o Thiago pra ensinar umas boas maneiras pro meu Dog, ah o nome dele é #Dom!! Beijokas!!

• Assuntos Relacionados •