Angelina Jolie é daquelas raras mulheres que tem tudo. Boa atriz, linda, rica, bem amada e generosa, ela também é inteligente, sensível e tem espírito humanitário. Essa mulher invejada se compadece dos que sofrem.

Seu primeiro longa, escrito, dirigido e produzido por ela, “Na Terra de Amor e Ódio”, é surpreendente e corajoso. Conta a história de um romance que acontece no cenário de uma das mais terríveis guerras do século XX. A guerra da Bósnia, que começou em 1992 e foi até final de 1995, é considerada o mais mortal conflito na Europa desde a Segunda Guerra.

Os números dessa guerra são impressionantes. Entre 100.000 e 110.000 pessoas foram mortas. Mais de 2.5 milhões tornaram-se refugiados porque um em cada dois bósnios foi obrigado a abandonar a sua casa. Durante a guerra 50.000 mulheres bósnias foram violentadas, o que levou a violência sexual a ser considerada um crime contra a humanidade, pela primeira vez no direito internacional. O cerco a Sarajevo foi o mais longo da história moderna.

Por três anos e meio, a comunidade internacional deixou de intervir e acabar com a guerra. Havia uma discussão sobre se era uma guerra civil ou internacional.

E pensar que antes dessa guerra cruenta, a República da Bósnia- Herzegovinia fazia parte de um dos países mais diversificados do ponto de vista étnico e religioso de toda a Europa, a Iugoslávia. Lá, viviam em harmonia, muçulmanos, sérvios e croatas.

Mas a guerra, insuflada pelos países vizinhos da Bósnia, a Sérvia e a Croácia, depois da declaração de sua independência em 1992, fez aflorar os piores instintos nos homens. Depois da guerra, nas negociações de paz, a CIA considerou as forças do exército sérvio como responsável por 90% dos crimes cometidos durante o conflito.

Angelina Jolie começa a contar a história de seus personagens um pouco antes da guerra. Num bar, a bela morena muçulmana Ayla, que é pintora, se encontra com Danijel, filho de um general sérvio. Flertam, dançam e cantam alegres, até que o estrondo de uma bomba introduz o horror, a morte e o sangue na vida de todos.

A partir daí o romance deles vai enfrentar obstáculos insuportáveis. Ela é levada, com outras mulheres, como prisioneira, para servir de escrava sexual no quartel das forças sérvias. Danijel tenta protegê-la mas o ódio antigo dos sérvios aos muçulmanos vai selar o destino daquele amor.

Angelina Jolie filmou na Hungria e na Bósnia- Herzegovinia. “Na Terra de Amor e Ódio” é falado em servo-croata e os ótimos atores são todos nascidos na região, inclusive o par principal formado por Zana Marganovic e Goran Kostic.

A fotografia é austera e a música é usada de maneira sensível e comedida. Gabriel Yared, o compositor e pianista, pontua cenas com temas minimalistas.

A diretora e roteirista foi indicada ao Globo de Ouro no ano passado e apresentou seu filme no Festival de Berlim. Diz ela:

“- Esse filme poderia ser sobre qualquer guerra… mas escolhi esse conflito por ser muito recente e ainda não totalmente compreendido.”

“Na Terra de Amor e Ódio” é um alerta sobre o rancor e a vontade de dominar com crueldade aqueles que são considerados os inimigos que, de tempos em tempos, desperta no coração dos homens.

Sensível e dramático na medida certa.

Assista ao trailer aqui:

 

Tags: , , ,
G.Plus Facebook

• Faça um Comentario no Facebook deste assunto •

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 Comentário:Na Terra de Amor e Ódio

  1. Fe

    Vou assistir!
    Beijos Fe.

    Para dicas e novidades: http://www.fesparkle.blogspot.com

  2. Rebeca

    Oi Bru!
    Já está nos cinemas? Em qual vc assistiu?

    Bjos

  3. Bruna

    Deu mta vontade de assistir, obrigada pela dica!!

  4. Ana Luiza Fazolli

    Nossa, fiquei arrepiada com o trailer!

• Assuntos Relacionados •