É chegado o momento que nosso melhor amigo peludo fica velhinho e com isso, alguns problemas de saúde aparecerem ou se agravam e seu comportamento também muda, devido as limitações físicas e/ou psicológicas que acabam aparecendo.

Será que nós estamos preparados para sua partida?

Quando temos um animal de estimação que vai ficando velhinho, é importante ter em mente, que eles precisarão de atenção redobrada com cuidados.

Esses cuidados vão desde alimentação até a forma como lidamos com eles. Lembre-se sempre, que seu peludo começará a ter limitações físicas como dificuldades para andar, subir escadas, enxergar, ouvir e também terá limitações de saúde, próprias da idade. Ele pode, por exemplo, passar a comer menos, ter problemas para urinar ou defecar, querer dormir mais e etc. Com isso, precisamos nos adaptar e ajudá-los da melhor maneira possível.

Ficar velhinho não quer dizer ficar doente. Portanto, é importante manter seu peludo com a melhor qualidade de vida possível. Visite sempre um veterinário para que você tenha um acompanhamento periódico do estado de saúde do seu amigo e com isso antecipar possíveis doenças, que chegam com a velhice, como doenças cardíacas, câncer, insuficiência renal e diabetes, por exemplo.

Se você tem um gatinho ou cão de porte pequeno, eles atingem a velhice a partir dos 8 ou 9 anos de idade e os cães de médio e grande porte com 7 ou 8 anos.

Paciência, muito amor e carinho são as chaves nesse momento que chega para todos, inclusive para os nossos amigos de 4 patas.

por Thiago Sanchez

Cuidando-de-caes-idosos

Tags: , , , ,
G.Plus Facebook

• Faça um Comentario no Facebook deste assunto •

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 Comentário:Nossos peludos também envelhecem…

  1. angelica

    adorei o post
    beijos

    http://www.blogdaangelica.com.br

    • juliana

      Adorei o post!!!! Parabens!!!!

  2. Nathálie Faria

    Não gosto nem de pensar nisso. :'(

  3. Janine Araújo Costa

    Adorei as dicas!
    Já perdi dois cachorrinhos porque estavam velhinhos. Foi muito triste, até hoje sinto falta deles.
    Um beijo, Bru. Te adoro!

  4. Patrícia Brito

    Bru, tô muito preocupada. Preocupada e triste, mas a preocupação fala mais alto. Quero que minha cadelinha, Belinha (pinscher) de 12 anos, tenha uma boa velhice. Mas seus dentes de baixo da frente caíram todos.. Ela ta com reumatismo, com as patas todas tortas, principalmente a maozinha. Ela pisa com o ”pulso”. Me dói ver isso :'( Sinto que ela não tá bem.. Não come ração, nem biscoitinho pra cachorro.. Não sei o que faço. Quero que ela vá feliz sabe … As pessoas acham que a dor de perder um bichinho é fútil. Mas 12 anos convivendo com um ser que te anima, te dá carinho, não tem preço. Vou ficar arrasada quando ela se for e espero ter sabedoria pra aceitar. Adoro seus posts! um beijo!

  5. Mariana Dantas

    Realmente é muito dificil pensar em perdê-los! Vi uma frase que dizia: “Eles vivem menos porque ja nascem sabendo amar de uma forma, que nós passamos a vida inteira para aprender!” Tenho uma gatinha, que irá completar 8 ano domingo, é o meu grande amor!!

  6. Tammy

    Sei que é algo natural da vida, mas que é dificil perceber que nosso amigo está envelhecendo é!
    Tenho um dachshund que está com 9 anos, há uns tempos ele começou a ter crises de dores na coluna, sendo que da última a situação ficou beeeeeem feia… Graças a Deus ele melhorou e continua sendo o mesmo de sempre, mas estamos sabendo que de repente, ele não vai viver muito mais e sempre me pergunto: Será que ele foi um cachorrinho realmente feliz?
    🙂 eu espero que sim!
    Muito bom o post, acho que a coisa mais difícil é ver realmente nossos peludos envelhecerem… podia não acontecer nunca!

  7. Helen

    Adorei Bru! Meu cachorro teve catarata e tinha medo de subir as escadas da minha casa por estar cego. Um minuto ele sozinho e ele decidiu descer as escadas (com a cegueira ele não descia/subia mais a escada sozinho, nem se aproximava dela), ele caiu e não resistiu 🙁

  8. Sofia

    Minha Akita tem 15 anos, ta bem surdinha e as pernas traseiras fracas.. mas ainda pula e corre quando a gente chega em casa.. eu tento fazer ela ficar mais paradinha, mas ela só para quando a perninha começa a doer eu acho.. É uma linda, nossa vovó! Ja estamos nos preparando pra hora dela, mesmo ela sendo bem forte… vai ser nossa Loba pra sempre!! <3

  9. Scheyla

    Ano passado perdi o meu velhinho com 16 anos, faltando 4 meses pra 17… tinha perdido todos os dentes já, estava cego, mas ainda ouvia bem… pra ele comer tínhamos que triturar a ração e fazer uma papinha com polenta e molho e dar de colheradas pra ele… mas valeu todo o esforço pq os momentos que ele passamos juntos vão ficar pra sempre na lembrança!

  10. Maria do Socorro C. Gomes

    Oi Bru, oi Thiago,
    Adorei o post. Não quero nem imaginar como vai ser com a minha linda maltês Mel. Aliás, o Thiago ajudou-me muito a entendê-la quando ela ainda era filhote e fazia algumas tolices. Foi ótimo.
    É muito duro perder um ser tão amado, ainda que seja um cachorrinho, que só traz alegrias para a vida da gente.
    Beijos.
    Maria

  11. Fernanda Daltro

    Oi, Bruna! Eu tenho uma senhorinha poodle de quase 18 anos em casa. Toma remédio pro coração, fígado. Não enxerga quase mais nada, mal escuta, não sobe mais no sofá, faz coco e xixi pela casa.. Ela já tá bem velhinha mesmo. Mas ainda não consigo aceitar o fato de que logo logo ela não estará mais comigo. Bom seria se nossos companheirinhos ficassem conosco para sempre. 🙁

• Assuntos Relacionados •