O Impossível

3 janeiro, 2013

Tudo convidava à felicidade das férias, em um dos lugares mais bonitos do planeta, a ilha de Pukhet na Tailândia.

A família Bennet, depois de um voo vindo do Japão, onde moravam, chega ao paraíso, um resort na Orchid Beach. Águas turquesa, areia branca e um sol luminoso acolhem a mãe Maria (Naomi Watts), o pai Henry (Ewan McGregor) e seus três filhos, Lucas de 12 anos (Tom Holland), Thomas de 7 (Samuel Joslin) e Simon de 5 (Oaklee Pendergast).

Tinham vindo passar os feriados do Natal.

Por ironia do destino, a suíte do 4º andar que os teria salvado do pior, foi substituída, na última hora, por uma suíte à beira-mar, de onde se viam palmeiras e um mar azul.

Estavam todos animados com o “up grade” e o Natal foi feliz. Não sabiam o que os esperava…

Ficamos com o coração apertado pois sabemos o que vai acontecer. E quando vem, sem aviso, surge a impotência do ser humano frente à força implacável da natureza. Não dá para esboçar um gesto. Só se encolher como Maria faz.

A força de vida do ser humano que o faz sobreviver, apesar das adversidades, é espantosa. Belíssima a cena em que Maria, atingida pelos detritos de toda sorte, quando é tragada pela onda do tsunami, desfalece, seu corpo flutua e, em câmara lentíssima vemos seu braço que rasga a água e faz acontecer o encontro com o ar abençoado, seu corpo vencendo a morte e tragando a vida, numa respiração vitalizante,

Todo mundo viu fotos, filmes na TV, ouviu depoimentos dos sobreviventes mas nada como o cinema para nos colocar em lugares onde nunca estivemos e sentirmos o que os outros sentiram.Quando o roteiro, a atuação, os efeitos especiais são de primeira linha, como em “O Impossível”, passamos todos pelo horror que foi o tsunami de 2004, que matou milhares de pessoas, um dia depois do Natal.

Vestimos a pele daqueles que passaram pelo terror e morreram (cerca de 300.000) e sofremos com os sobreviventes, separados de suas famílias e vagando desesperados entre os destroços do paraíso.

Naomi Watts está de arrepiar como a médica despreocupada, em férias, que se transforma na mãe sofrida e tão mais próxima do filho mais velho, que a ajuda a vencer com coragem a batalha pela sobrevivência. Foi indicada para melhor atriz em todos os prêmios que já foram anunciados. O jovem Tom Holland também está perfeito no papel.

O impossível aconteceu. E Maria Belón, espanhola, escreveu um livro contando essa história de pesadelo que passou na Tailândia com sua família e que foi adaptada para o cinema.

“O Impossível” não é um filme em que o desastre é o ator principal. Aqui, a câmara foca em planos abertos a primeira e a segunda onda e os destroços em que se transformou aquele pedaço de paraíso. Mas não é o principal. O diretor Bayona prioriza os rostos feridos, as pernas trôpegas, os olhares cansados , o trauma vivido naquela manhã.

Mostra o ser humano em uma situação de exceção. Vemos gestos egoístas e solidariedade, a emoção do reencontro e as lágrimas da perda dos seres queridos.

“O Impossível” é um belo e terrível filme sobre o imprevisível.

por Eleonora Rosset

Assista ao trailer:

Alguém já assistiu?

Tags: , , ,
G.Plus Facebook

• Faça um Comentario no Facebook deste assunto •

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 Comentário:O Impossível

  1. Luisa Ribeiro

    Oi Bru! To doida pra ver esse filme! Mas tô me preparando
    psicologicamente pq já sei que vou chorar muito! Só de ver os
    trailers da vontade de chorar! Bjos!

  2. Fernanda

    Com certeza vou assistir! Está nos cinemas? Beijos Fe. Para
    dicas e novidades: http://www.fesparkle.blogspot.com

  3. Rafaella Silveira

    LINDO! Me arrepiei com o trailer! Farei questão de
    assistir!

  4. Amanda

    Oi bru! Vi o filme e juro que desde que vi não tenho
    dormido direito pensando em tudo que essa família passou! É um
    filme que muda a pessoa após a sessão (não sei se falo por outros
    que assistiram mas posso falar por mim e minha família que também
    assistiu). É com certeza o filme mais real de tragédia que já vi e
    sem dúvidas nenhuma muito bem produzido. Saímos do cinema pensando:
    “ufa, sobrevivemos”

  5. Manu Demonti

    Bru!! Vou ver hoje…Não vejo a hora! Ja sei que vou chorar!

    Bjo amore
    Manu Demonti
    http://manumanuelices.com

  6. Marina

    nossa, a primeira cena, em que o garoto é praticamente engolido pela água dá um arrepio absurdo.
    Eleonora, você assistiu “Life of Pi” ?
    Bjo.

  7. Mariana

    Sem comentários, mto bom…já chorei com o trailer. Doida
    para ver. Emocionante, bru. Bjs

  8. Dora Ehrlich

    Bru, vi o filme e me emocionei muito. Acabei nao gostando
    muito porque mexeu comigo demais. Tive até que passar um tempo fora
    da sala de cinema, voltei para assistir ao fim. Posso nao ter
    gostado do filme mas amei o post! Beijo

  9. Rafaella Silveira

    Brú, fiz um post falando da sua campanha Desabandone, eu
    ficaria muito feliz se você fosse lá conferir 😀
    (http://garotazelosa.blogspot.com.br/2013/01/desabandone-x-verao-animal.html)

  10. Me and the City - NYC

    To louca pra ver!!!
    Beijos,
    Fer

• Assuntos Relacionados •